terça-feira, 22 de setembro de 2020

[Livros] TAG da Fruta

Através do blog Prefácio, soube de uma TAG literária com nome de fruta. Pedi uma fruta à Silvana e ela me deu PERA. Agora devo indicar livros onde a primeira letra dos títulos começam as palavras da fruta. 

LETRA "P" - PÃO DIÁRIO

É um livro muito fofo que adquiri na última vez em que fui à livraria Cultura do shopping Iguatemi de minha cidade. É um livro religioso que possui o formato tradicional e o pocket, sendo que o menor custa bem menos do que o tradicional.

Cada página é uma mensagem diferente, lembrando um pouco o tão conhecido "Minutos de Sabedoria", mas a diferença é que há muito o que ler, mesmo em apenas uma página. As letras são pequenas, então cabe muito texto. Essa é uma das razões que recomendo o tamanho normal, pois no pocket fica tudo bem pequeno mesmo.

Existem várias versões dessa publicação cristã. Este que mostro é o Volume 20 - Paisagens. Existem versões específicas para homens, até mesmo para os agentes policiais, assim como para mulheres e para a família. O que muda no interior de uma para outra? Do pouco que assuntei na época, folheando, o teor das mensagens muda completamente. Achei interessante porque é mais direcionado, ou seja, os textos não são tão vagos.

LETRA "E" - ESTAÇÃO CARANDIRU

É o livro em que se baseou o filme "Carandiru", tão aclamado e com destaque a Rodrigo Santoro. Li a obra quando nem tinha ideia de que iria para as telas. E o que vi foram relatos em primeira pessoa de um médico que trabalhava naquele lugar e se dispôs a contar um pouco de como funcionava lá. Não sei se o livro passou por outras edições, mas esta é bem antiga, antes do doutor Dráuzio ser tão popular como é hoje. Então, suponho que a escrita seja original, ou seja, não houve cortes de trechos por influência de alguma mídia. É um livro um pouco pesado que visa informar sobre a realidade daquele sistema carcerário. Vai ver, por isso o filme fez tanto sucesso, pois colocou um pouco de graça e leveza.

LETRA "R" - RICARDO  E VÂNIA

Tal como o anterior, trata-se de um documentário em torno da vida de Ricardo Correa da Silva, vulgo Fofão da Rua Augusta, já falecido e que vivia como um Zé Ninguém pelas ruas da Capital de SP, sendo que, no passado, Ricardo já foi um cabeleireiro bastante requisitado, tendo como cliente até mesmo a Ana Maria Braga. A obra trata dessa descoberta em torno do passado dessa pessoa icônica cuja família encontrava-se em Araraquara e lhe deixara uma herança confortável, mas que ele não procurava aproveitar. Vânia foi seu único grande amor, conheceram-se na fase boa da vida. À medida que vamos lendo, nos situamos do que aconteceu e dos motivos para tamanha queda do cabeleireiro, transformando-se em um mendigo (tem resenha dele aqui). Esse foi um dos melhores livros deste ano, pois me emocionou bastante. Eu o peguei na biblioteca municipal. Veio a questão da pandemia, alguns dias após, e o resultado foi que o livro morou aqui durante uns dois meses. Tempo mais do que suficiente para uma boa namorada.

LETRA "A" - A ESTRADA DA NOITE

O único ficção dessa TAG. Parece até irônico, pois amo ficção, mas os anteriores não são. Um dos primeiros livros do autor Joe Hill, conhecido como "o filho do Stephen King". A história mostra um veterano do rock arrematando o leilão de um fantasma pela Internet. Não demora muito e ele descobre que o leilão foi forjado para que ele adquirisse aquela alma penada que começou a lhe causar sérios problemas. É incrível como a trama começa bem leve e fica bastante pesada nos momentos de resoluções. Pretendo compartilhar um pouco mais sobre o que achei dessa minha leitura, em breve, aqui no blog. 

Bom... é isso! Espero que tenham gostado desta postagem. Todos esses quatro livros são bem interessantes. O do Joe Hill é o mais fraquinho, mas falarei melhor na postagem dedicada a ele.

Agradeço à Silvana pela fruta e também agradeço a todos que vieram ler. Obrigado!

sábado, 19 de setembro de 2020

[Quadrinhos] Desfile das Tirinhas

O Desfile das tirinhas de hoje traz o trabalho de Fábio Coala Cavalcanti, artista que gosto muito porque seus quadrinhos naturalmente transmitem paz e positividade sem forçar a barra. Poucos conseguem promover esse equilíbrio e utilizar da arte dos quadrinhos com essa sabedoria. O site Mentirinhas é atualizado todos os dias ao longo de anos, além disso, as redes sociais dele também recebem tirinhas um pouco mais antigas com frequência. Viva o trabalho Fábio Coala!!!

Conheça o Mentirinhas clicando aqui


sexta-feira, 18 de setembro de 2020

[Quadrinhos] CARNAVAL! OBA!

"CARNAVAL! OBA!" foi publicada originalmente na revista do Cebolinha n° 38 (editora Abril/ Fevereiro de 1976) mas eu a li na revista intitulada "Mônica Especial Carnaval e Outras Histórias" n° 8, (editora Abril/ Fevereiro de 1981). 

Mônica apareceu com um tambor musical querendo festejar o carnaval. Cebolinha e Cascão ficaram ouvindo as batidas dela e não gostaram, mas sabiam que poderiam apanhar, então iam suportando. 

Em determinado momento, Mônica decidiu que era preciso se fantasiarem para entrarem ainda mais no clima. Cebolinha e Cascão não gostaram, mas sabiam que era mais saudável não contrariar a pentelha.

Mônica apareceu de coelhinha rosa -- e ficou uma gracinha -- e Cebolinha usava uma moita qualquer dizendo que era sua fantasia de plantação de cebola. Eu ri quando eles esperavam o Cascão sem saber que ele já estava ali. Era a lata de lixo ao lado. Quando ele se manifestou, Mônica e Cebolinha levaram um baita susto. 

E assim os três seguiram caminhando sem direção pelas ruas do bairro. Mônica batia o tambor, Cebolinha e Cascão seguraram uma grande faixa com os dizeres: "BLOCO VAI QUEM QUER SAÚDA O PÚBLICO E PEDE PASSAGEM". 

Os três estavam em clima de festa, o que acabou contagiando as pessoas onde passavam. Algumas foram aderindo e passaram a acompanhá-los e logo foi se reunindo uma multidão atrás deles. Quando eles chegaram em um sambódromo, já lideravam um bloco de rua. 

Eles ficam impressionados com todo aquele povo, finalmente percebendo o quanto a alegria e a ação positiva tinham sido contagiantes. Cebolinha, de repente, aparece segurando um troféu e diz ao Cascão que eles ganharam a taça do carnaval. Por sua vez, Cascão joga uma conversa em Cebolinha para ficar segurando a taça. Afinal, era um troféu e ele queria se exibir orgulhosamente com ele. 

A história termina com as pessoas dando continuidade à diversão e indo para outro lugar, deixando Cascão pra trás, todo deslumbrado, com aquela taça na mão, até que ele preferiu jogar o troféu fora e correr para alcançar a multidão.

Sem dúvida, essa HQ tem algum tipo de mensagem subliminar, pois não era preciso desvalorizar um troféu para curtir o carnaval. Haveria outros meios de se concluir aquela situação. Inclusive, usando-a como peça no próprio desfile. 

Hoje em dia, essa lição cabe a todos nós que vamos a um show de música ou ao teatro e ficamos o tempo todo filmando com o celular ou até mesmo conferindo aquela postagem "imperdível" na rede social. O evento está se realizando, as coisas vão acontecendo e a gente acha importante estar ali com o celular, pois ele é a nossa taça. 

Na época em que produziram essa historinha, não faço a menor ideia do contexto a ser transmitido. Talvez, alguma crítica política sobre não se conformar com as benéfices do cenário atual àquela sociedade, que era preciso se unir e ser otimista. Seria alguma coisa em torno disso? Quem sabe?

Coloquei esta HQ na íntegra para quem se interessar em ler. Há uma propaganda da revista "Recreio", que eu nem sabia que vinha de uma data tão longeva. Também coloquei a da BIC Ponta Porosa, que eram as canetinhas da BIC, conhecida pela sua tradicional esferográfica que dispensa apresentações. Bom divertimento! 


segunda-feira, 14 de setembro de 2020

[Quadrinhos] Chico Bento e os Defensores da Mata

Esta semana começou punk aqui onde moro. Incêndio pra todo lado. Em um deles, foi registrado pelo celular, em alta resolução, uma espécie de redemoinho de fogo que cresceu um pouco mais à medida que estava sendo filmado, como se uma forma de vida/energia soubesse e manifestasse sua potencialidade para ser registrada de fato. Acredito muito nisso, nas energias que nos rondam  nos circundam. Muitas delas são seres, talvez, um dia, seremos como elas, quando nos desencarnarmos.

Ribeirão Preto é sempre muito quente, seco e abafado. Mesmo no inverno, as temperaturas nestes quinze dias estão entre 30 a 37 graus durante o dia. Pra piorar, os incêndios nos canaviais e matas ao redor fazem com que fiquemos cobertos pela fuligem e mais poeira tóxica.

Estive procurando uma HQ em que a casa do Chico pega fogo. Eu me lembro que é antiga e que a cena nos passa bem o conflito do momento, consegue mexer com a gente. Como normalmente acontece comigo, não encontrei essa historinha específica, mas acabei lendo outra tão boa quanto e que também fala sobre a preservação da mata que compõe todo o bioma da Vila Abobrinha.

Nessa HQ, Chico está descansando na rede, à sombra das árvores quando é erguido subitamente por uma máquina, um trator. O operador tem todo um jeitão de brutamonte e fala que está ali para arrancar aquelas árvores e preparar o caminho para a nova estrada, que é um projeto da prefeitura e blá-blá-blá... Chico se mostra resistente e quer impedir o trator de avançar. No começo, com a ajuda do Zé da roça e do Padre, eles até conseguem atrapalhar, mas o operário não se sensibiliza e diz que vai cumprir seu trabalho, custe o que custar. 

Essa trama é da revista Chico Bento n° 5, publicada em 21 de Outubro de 1982, pela editora Abril. Naquela época, projetos de urbanização das zonas rurais vinham sendo bem recebidos e aplicados em nome do desenvolvimento e do progresso da nação, mas a voracidade com que as construções avançaram, ao longo dos anos, começou a atrair os olhares cautelosos sobre a questão do meio ambiente, toda a fauna e flora afetadas. E hoje, quando usamos a Internet e os robôs para diversos fins e só falta os carros voarem, ainda nos deparamos com o lamentável desmatamento e as precárias medidas de renovação do solo agrário destruindo tudo pela frente, sem dó nem piedade, em nome do progresso e desenvolvimento da nação. E ainda somos levados a pagar caro pela comida, sendo o Brasil um dos maiores países produtores (e exportadores) de alimentos no mundo, sendo o setor do agronegócio o único que não foi atingido catastroficamente por essa essa questão do Coronavírus. 

Aqui fomos submetidos a assistir imagens de vídeo de vários animais mortos em um desses lugares incendiados. Alguém mencionou cerca de trinta porcos e dez vacas. É claro que ninguém menciona os lobos-guarás, os gatos do mato, as cobras, os macacos, os gambás, os ratos... mas eles existem e, infelizmente, muitos também devem ter partido nas chamas da destruição. Quem sabe, um dia, quando esses animais silvestres começarem a atacar a população, já que não terão mais seu ecossistema e a respectiva cadeia alimentar, quando alguns acharem um bom negócio atacarem as colheitas, atrapalhando as produções do ano todo, quem sabe, assim, olharão com mais seriedade para essa questão. Quem sabe?

Sobre a historinha, ela está completa e é bem legal. Uma pérola dos tempos de ouro dos quadrinhos da MSP.. Também coloquei a propaganda da Chambourcy, já que a empresa não existe mais porque foi comprada pela Nestlê e, nessa época, seus produtos eram os mais gostosos (ou eu que era um pirralho e tinha um paladar maravilhoso, bem diferente de hoje, com meus 43 anos).

Abraços a todos. 


sábado, 12 de setembro de 2020

[Quadrinhos] Desfile das Tirinhas

Olá, pessoal! O Desfile das Tirinhas está uma gostosura. Tem coisa melhor que comer? É muito bom!


SNOOPY - CHARLES SCHULZ

RECRUTA ZERO - MORT WALKER

PATO DONALD - WALT DISNEY

GARFIELD - JIM DAVIS

MAFALDA - QUINO

HAGAR, O HORRÍVEL - DIK BROWNE

NÍQUEL NÁUSEA - FERNANDO GONSALES


quarta-feira, 9 de setembro de 2020

[Poesia] Sem Palavras


Um dia te olhei com outros olhos
Você me deixou te acompanhar
Nossa relação foi intensa
Tive tantas coisas a contar
Aos poucos foi acabando
Tudo o que eu tinha a lhe oferecer
Foi inevitável, tive que deixar você
A explicação você já tinha
Tantas emoções eu te dei
Mas agora nada mais havia
Estou sem palavras para você
Só quero que saibas
Que foi muito bom estar contigo
Que venham mais momentos felizes
Na leitura de seu próximo livro

-----

Autor: Fabiano Caldeira

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

[Livros] Promoção do E-book Gratuito - Rita & Orestes - Amor na Terceira Idade

Em promoção, nos dias 7 e 8 de Setembro, na Amazon, o e-book: "Rita & Orestes - Amor na Terceira Idade", um conto de poucas páginas que nos faz refletir sobre o pessoal chegando na terceira idade, suas maneiras de curtir a vida e as responsabilidades. 


A história: Agora que chegou na "melhor idade", Rita quer desfrutar das coisas boas da vida. Ela vai a uma casa de dança e conhece Orestes, um senhor alto e cheio de intenções em tornar tudo muito mais interessante. 

É um conto bonitinho que mostra um prisma diferente sobre relacionamentos, pois, enquanto a moçadinha pensa em como conquistar a pessoa amada sem nada em sua própria bagagem, os senhores e senhoras possuem bagagem de sobra e isso também traz inseguranças e incertezas, justamente por vivenciarem situações semelhantes e acharem que tudo será da mesma forma.

Rita tem um segredo que vai sendo trabalhado ao longo da trama, assim como a conscientização de que os idosos devem ter sobre as responsabilidades. 


A leitura tem indicação +18 porque me sinto a vontade em colocar uma linguagem onde não preciso moldar as palavras e nem censurar acontecimentos.

Fica a dica, então! É ruim fazer propaganda de mim mesmo. Mas vejo tantos amigos fazendo isso. Por que eu não posso me dar a esse deleite, de vez em quando? 

Muita Paz, Muita Luz e Muita Proteção. 

Abraços a todos.

sábado, 5 de setembro de 2020

[Quadrinhos] DESFILE DAS TIRINHAS

Olá, pessoal! Às vezes saímos da zona de conforto, seja porque queremos ou porque acontece mesmo. E você, já se pegou refletindo se encontrou seu lugar ao Sol? Seja como for, achando-se ou perdendo-se (o que é mais provável), o importante é vier a vida, porque a vida nunca estaciona, ela segue em frente em frente. 

Semana passada não teve o Desfile das tirinhas porque fiquei sem Internet por alguns dias e não a tinha programado com antecedência. Simples assim. Abraços a todos. Que tenham um minutinho de alegria com as tirinhas daqui.

PELEZINHO - MAURICIO DE SOUSA

ZÉ CARIOCA - WALT DISNEY

MAFALDA - QUINO


MICKEY - WALT DISNEY

SNOOPY - CHARLIE SCHULZ

RÊ BORDOSA - ANGELI