sábado, 27 de fevereiro de 2021

[Quadrinhos] Desfile das Tirinhas

 RECRUTA ZERO - MORT WALKER

MURIEL - LAERTE 

PENADINHO - MAURICIO DE SOUSA PRODUÇÕES 

DILBERT - SCOTT ADAMS

GARFIELD - JIM DAVIS

MAFALDA - QUINO

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

[Poesia] REI NU


O rei está nu

Parrudo, barbado

Faminto de cu


Se joga

Interessa?

Quem sabe rola pegar na benga?


Ele tem colhões e quer usá-los

Nos reais colchões 

Nos selvagens atos


O rei esta nu

O fato procede

A burguesia fede

É o sangue azul

-----

Autor: Fabiano Caldeira

Foto belíssima que inspirou a poesia.
Censurada pelo Facebook e Instagram.
Confira a original clicando aqui 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

[Livros] Loja de Celular - Ebook Gratuito

Hoje coloco à disposição na Amazon meu mais novo conto erótico gay que está gratuito (só hoje). Quem é acostumado a pegar ebooks na Amazon sabe como funciona: das 0:00 até as 23:59 de hoje, mas sabemos que existe o fuso-horário em desalinho com o site, o que faz com que a promoção comece mais tarde e termine mais tarde, portanto, a pessoa tem cerca de três horas a mais (horário de Brasília) para garantir seu ebook.

Este possui 18 páginas na Amazon, tem desejo, erotismo e uma pegada sinistra de crime e violência, que é um temperinho um tanto diferente se compará-lo aos outros contos pequenos que venho postando lá. 

Se você é maior de 18 anos e gosta de histórias com poucas páginas, gosta de erotismo de homem para homem, convido-o a ler esta mais recente obra, já que hoje não lhe custará nada mesmo. Enfatizo o público gay porque é o que trata a história. Curiosamente venho tendo muitos leitores héteros, especialmente mulheres. E, desde já, agradeço bastante toda pessoa que lê minhas obras.

Garanta seu ebook clicando aqui

Sinopse: Luciano há tempos vem observando um homem que lhe chamou muito a atenção e que trabalha em uma loja de celular no centro da cidade. Um dia ele se encheu de coragem e resolveu comprar um chip novo, só porque estava morrendo de vontade de ser atendido por ele, ouvir sua voz de perto e, quem sabe, até sentir o cheiro de sua testosterona.

Acompanhe Luciano, João e seus parceiros, Frota e César, nesta trama envolvente, quente e ao mesmo tempo bem sinistra.

Garanta seu ebook  clicando aqui


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

[Livros] Brincando com Fotos

Como uma foto aparentemente inofensiva pode se tornar sinistra. O editor que uso é o GIMP - gratuito com ferramentas profissionais e mais leve do que o Photoshop. A primeira é a original. Na segunda, coloquei mais barba e bigode. Pareceu ideal, mas ainda fiquei com aquela impressão de que faltava algo. A questão não era o homem lindo, gostoso, que dá vontade de comer em pedacinhos e aos poucos cada centímetro desse corpo, então resolvi escurecer o cenário, que permaneceu exatamente o mesmo, apenas ganhou um pano e fundo azul escuro e noções de de luz e sombra. Perfeito! Há quem diga que ficou escuro demais, mas é exatamente o que eu procurava para a capa do conto novo. 

Aliás, o conto tem quinze páginas e espero que a Amazon me libere ainda hoje. Estou trabalhando em várias tramas sérias e diferentes. Mas sinto necessidade de criar mais contos curtos destes. Ainda preciso manter essas raízes, pelo menos, até que as sementes posteriores germinem. 

Aqui não tenho público para este tipo de obra. Quem sabe eu fale mais a respeito em uma postagem futura. Só quis mesmo compartilhar esse processo de transformação de uma foto, porque é divertido.





Nestas duas fotos, o mesmo processo de edição. Na segunda, o boné do homem ficou vermelho e coloquei o efeito de deixá-lo mais peludo ao longo desse corpo gostoso onde adoraria esfregar meu  rosto. Fiz o mesmo com a barba e até a deixei mais escura. Os óculos e o fato de ele não ser tão fortão eram detalhes que eu estive prestes a ignorar, pois o fato de estar segurando o celular foi o que me chamou a atenção. Felizmente, a foto anterior, apesar das tattoos e de não aparecer o celular, encontra-se mais de acordo com o personagem. 


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

[Livros] A Próxima Porta - Clichê Envolvente

 


Chloe Danielle são irmãs. Quando mocinhas, infelizmente, tiveram que lidar com o assassinato da mãe e a prisão do pai que as amava e não mostrou resistência. Dez anos se passaram e elas são duas belas mulheres que ainda não têm nem trinta anos e estão com toda a vida pela frente. Chloe tem Steven, com quem planeja se casar. Danielle tinha Martin, até ele ser assassinado. 

Esse livro é bem interessante porque começa dez anos após a tragédia familiar e nos apresenta o perfil das duas irmãs atualmente. Apesar de serem gêmeas, uma tem a vida bem diferente da outra. Enquanto Chloe tem tudo sob controle e uma vida mais aceita pela sociedade, Danielle vive na corda bamba e isso lhe deu uma personalidade que muita gente recrimina. 

Gostei de como foram apresentados os elementos. Desde o começo, contando a tragédia sem enrolação, até os personagens que foram aparecendo à medida que a trama vai se desenrolando. Confesso que esperava um pouco mais de impacto. Não tive aquele momento em que me vi surpreso com alguma atitude de alguém. O lance das cartas eu achei clichê. Mas a trama é envolvente, fácil de compreender. Existe o livro 2, o qual já estou procurando para ler. O autor tem "N" livros escritos, muitos são séries. Por sorte, acredito que este acabe no segundo volume, que se chama "A Mentira Mora Ao Lado - Um Mistério Psicológico de Chloe Fine - Livro 2".

Pelo que entendi, o ebook não foi colocado por nenhuma editora, o que me leva a pensar que algum agente ou o próprio autor tenha feito direto do original e usando a tradução mecânica do Google ou algum programa de tradução similar, pois há algumas colocações de pronome que nunca tinha visto em literatura brasileira, mas estão certas quando a frase vai para o inglês. Também há palavras com substantivo invertido (do masculino para o feminino ou vice-versa). Na postagem anterior critiquei bastante as empresas que colocam o ebook mal diagramado e revisado na Amazon, enquanto um escritor independente acaba perdendo muito tempo para que tudo fique o mais correto possível. Essas empresas possuem pessoas que deveriam se dedicar a isso, mas não se dedicam. Neste caso, não vi o nome de nenhuma empresa envolvida e a história me deixou bastante animado, entretido e com vontade de voar nas páginas. Eu, que tenho um ritmo lento de leitura, terminei em três dias, tamanho interesse. Então esses detalhes da escrita estão absolvidos. Nas próximas redesenhas eu nem comentarei sobre eles, caso a história me agrade, pois o importante é compartilhar o que eu achei.

Esse livro é a cara da editora Arqueiro. Aliás, a biografia toda do autor é. Curiosamente, pesquisei no Google e parece que não tem formato físico dele no Brasil, por editora nenhuma. Estranho que a Arqueiro, que tanto publica James Patterson, não tenha se interessado por essa obra de Blake Pierce, que parece ter a mesma pegada.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

[Séries] Dinastia - As Três Temporadas

Dinastia é uma série da Netflix que tenho assistido com gosto. Apesar de ser um pouco longa -- 3 temporadas com 22 eps. (a terceira contém 20), posso dizer que me diverti bastante com os momentos leves e me atraiu a atmosfera mais pesada. 

Na primeira temporada há um desfile de beldades na mansão Carrington: Fallon, Crystal, Mônica, Alexis são todas lindas, glamourosas e esbanjam sensualidade e empoderamento, cada qual à sua maneira. Como gosto mais dos homens, foi inevitável me maravilhar com Sam, Steve, Blake e Michael. Jeff e Anders são mais do que necessários, mas não me chamaram a atenção no quesito charme. 

A história é uma disputa de poderes entre Fallon, seu pai Blake e Crystal, que é quem conduz a teia toda, pois ela aparece como noiva e se torna esposa de Blake, para desespero de Fallon, que a considera mera oportunista e alpinista social. Como Crystal é venezuelana, há uma trama de sua família envolta em crimes e que deseja usá-la para se refugiar aos Estados Unidos. Uma crítica à questão dos refugiados e imigrantes, segundo a óptica norte-americana. 

Na segunda temporada, há outra Crystal que aparece na vida de Blake. Outra personagem que entra é a Kirby, a filha de Anders (o mordomo investigador da casa). Além disso, tem o Adam, de quem falarei mais tarde.

A história até tem uns momentos leves, mas a real é que tudo fica mais pesado, diferente do desprendimento e da alegria da temporada anterior. Foi bom ver o casamento de Steve com Sam, abordando a importância dos direitos homossexuais ao casamento e à adoção de filhos. Pena que o ator de Steve deixou a série e seu personagem teve um triste final. 

A história dessa segunda temporada gira em torno do time de futebol que Blake compra. A família de Crystal é envolvida com um time concorrente e eles forçam a barra para ela sabotar o time que o próprio marido resolveu investir. Deu a entender que a família dela possui grande influência no México e possui meios não muito amistosos de conseguir o que querem. Ué! Mas a Crystal não era Venezuelana? A Crystal da primeira temporada, sim. Tinha irmã e sobrinho venezuelanos. A Crystal da segunda temporada é outra personagem que traz outra bagagem.

Outro ponto interessante é a chegada de Adam à família. O filho mais velho que foi sequestrado ainda bebê está vivo e retorna à mansão. Esse fator só tornou tudo mais sombrio, pois ele começou matando a mãe de criação e também empurrou a mãe biológica dentro da lareira do quarto dela, queimando todo seu rosto. Sem falar que ele envenenou Jeff. Então o cara começou como a personificação do mal. Blake, porém, mostra que realmente é o pai dele, já que mata na porrada um cara por causa de algo que ele não cometeu, ou seja, ele mata um cara inocente. E com incentivo de Crystal. 

A terceira temporada volta com um clima bem mais parecido ao da primeira, apesar de começar com as resoluções dos incidentes macabros ao da anterior e de nos trazer outra atriz para a mesma Crystal, sem nenhuma explicação, já que não se trata de outra personagem. A atriz só continua interpretando a mexicana. Outro assombro é a volta de Alexis, que tinha fugido do filho que lhe queimou totalmente o rosto. Ela volta em outra atriz (bem melhor) e a explicação são as cirurgias plásticas para o novo rosto. A personalidade de Kirby, a filha do mordomo, muda completamente: de rebelde sem causa, para a bobona do dedinho podre. 

A questão agora é fazer Blake se safar do assassinato que cometeu. E para piorar, ele descobre que a vítima não tinha feito o que ele tinha pensado, então a consciência meio que pesa (mais para Crystal do que para ele). Fora isso, vamos acompanhando as resoluções de questões anteriores: a crise de identidade de Fallon, o desmemoriamento de Liam, a cegueira de Adam, Sam tocando o barco com seu novo empreendimento, Jeff querendo investir em farmacêuticas, à procura da cura de uma doença progressiva que ele adquiriu como sequela de quando foi envenenado...

Dizem que há uma quarta temporada a caminho. Espero que seja verdade e que venha logo, pois eu achei tudo muito divertido e interessante.    

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

[Livros] Abandonei O Casamento Arranjado

Hoje vou criticar esse livro que consta em primeiro lugar na Amazon, em uma categoria intitulada "Romances de Época do Século 20". Na verdade, é um box com quatro obras que, juntas, contém quase mil páginas. 

Muito bem! Curioso para saber o que esse livro tem demais, comprei-o. Até porque, dois reais e noventa e nove centavos não paga nem meu pãozinho da manhã. 

Ah! Se arrependimento matasse!...

Primeiro vamos à parte técnica da coisa toda. O livro está mal digitado, diagramado, seja que raio de nome queiram dar a isso. Exemplos que me irritaram "dar---lhe", chama---la". Por que colocar travessão no lugar de 1 simples hífen, que é o correto? Mas isso não se leva em consideração. Quem está escrevendo que faça como achar legal. Este é o menor dos problemas, mas em uma história ruim, acaba se tornando aquela gotinha que faltava para transbordar o balde. Eu ignoro erros de digitação e até erros ortográficos, pois todos cometem erros na hora de escrever. É perfeitamente normal, já que português é língua FDP que possui uma gramática complexa. Vamos ser francos! 

Acontece que há vários parágrafos desalinhados. Isso sim é uma falha na diagramação, pois eu não peguei um ebook gratuito piratão no Lê Livros. Eu comprei um ebook num site comercial. Quem trabalhou nesse ebook deveria ter tomado esse cuidado. é comum na Amazon os autores nem usarem parágrafos e, sinceramente, eu preferia mil vezes isso a ter que ficar olhando esse desalinhamento constante. Então, caso um escritor independente novato esteja lendo isto, fica a dica: é melhor não dar parágrafos do que fazê-los desalinhados. José Saramago, em suas melhores obras, usou de poucos parágrafos. Você não é obrigado a colocá-los, mas se colocar, faça-os alinhados. Como disse, não vou pontuar erros de digitação nem ortográficos, já que todo escritor comete e até editoras que dizem ter revisores deixam passar batido. 

A história, que na verdade, é o principal e o que mais me aborreceu é péssima! Eu li setenta páginas de algo que simplesmente não saiu do lugar. 

Liv se casa com Andrews por necessidade. Sim. O casamento é arranjando por um senhora que pensou no futuro dela, já que a garota não tinha ninguém na vida e não sabia fazer nada. Essa parte poderia ser melhor trabalhada. Colocaram esse fator bem no começo a história, como uma pincelada, para focar na realidade do casamento e da noite de núpcias.  

Fiquei as setenta páginas vendo Liv criticar Andrews porque ele não é do jeito que ela idealizou. Ela perdeu a virgindade com ele e gostou, até se apaixonou. Mas, sabe o que acontece? Ele não dava o risinho charmoso de canto-de-boca na hora que ela queria. Ele não largava suas responsabilidades para fazer um carinho nas suas bochechas rosadas quando sua periquita gritava de calor. Ele trabalhava ao invés de usar drogas e encher o nariz de pó ao mesmo tempo em que falava merdas engraçadas para ela rir. 

Andrews tinha uma doença incurável que, do pouco que eu li, parecia progressiva. Acredito que o foco maior da doença é trabalhado ao longo da trama, mas, como abandonei, fiquei sem saber. Mesmo com essa doença, ele tinha uma vida normal (apesar de saber que morreria em breve) e precisava conduzir seus dias assim. 

É certo que Andrews foi colocado como um tipo de macho escroto oposto à delicadeza e sensibilidade de Liv. Esse era o intuito da autora. Acontece que os motivos eram fúteis, Liv não possuía fundamentos convincentes para seus dramas. Ela só esperava que ele mudasse e criticava seu comportamento atual. 

Na real, não vi elementos nessa história. Os diálogos são rasos e a situação não sai do lugar. Liv fica o tempo todo idealizando e criticando. Ela não tem uma ocupação interessante,  uma atividade, ela não vai passear, ela não vai cozinhar, ela não vai fazer rosquinhas nem bater uma siririca, ela fica atormentando o leitor com coisas do tipo "ele não me olhou do jeito que eu queria hoje, fiquei muito mal por causa disso"

É claro que, se a trama toda gira em torno de quatro volumes, é óbvio que os elementos para preencher a trama existem. Mas em setenta páginas eu não vi nada que me convencesse a continuar. E aquilo estava chato. Liv é chata. Faltou sal a Andrews. E a culpa é da narrativa besta que encontrei. Narrativa que usa e abusa da redundância. Redundante demais! E quando não é redundante, há parágrafos e mais parágrafos sobre nada, que nem precisavam estar ali. 

EU NÃO VOU LER QUATRO LIVROS PARA ME DAR CONTA DE UM CONTEÚDO QUE PODERIA SER COLOCADO EM APENAS UM

Quero deixar claro que não é legal vir aqui e criticar um livro. Mas eu postei indicação dele aqui, há alguns dias, então me senti na liberdade de falar o que achei. Expus alguma coisa nas redes sociais e ganhei alguns xingamentos. Ainda bem que tenho meu blog onde, por enquanto, posso falar o que eu quero, não tenho que forçar a barra enfeitando uma obra ruim. 

A menos que este seja seu gênero preferido, fique esperto com este título. 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

[Livros] Vizinho Casado: No Sigilo

Este é um dentre tantos contos eróticos entre homens que são possíveis de se encontrar na Amazon. Muitas pessoas classificam como subliteratura e até lixo literário, mas a verdade é que essas historinhas picantes sempre existiram desde os anos 70, sejam em formato de quadrinhos em preto e branco, seja nos livros com papel jornal que eram vendidos em bancas, a novidade foi que, com o crescimento da Internet, o enredo HxH veio com tudo. E que bom que temos escritores talentosos que expõem em pé de igualdade seus contos na Amazon. 

Um atributo que afugenta muita gente (e com razão) são as fantasias sexuais que envolvem essas tramas, muitas vezes regadas ao incesto ou atos fetichistas degradantes. Mas esta não é uma caracterísica exclusiva HxH, não. Na verdade, essa situação veio das histórias héteros, mais especificamente aquelas com títulos que anunciam relações ente mãe e filho, madrasta e enteado, irmão e irmã, tio e sobrinha, professor e aluna, primo e prima, padre e religiosa... Acho importante esclarecer, porque há décadas essas coisas foram vendidas por aí, em qualquer banca, e tudo sempre ficou muito bem, mas quando alguém vê títulos entre homens sugerindo algo com pai, padrasto, tio, primo, irmão, baixa a santa hipocrisia no(a) leitor(a) que promove um discurso moralista. 

Essas ficções são produzidas especificamente para se viajar na maionese mesmo. A finalidade é essa. Eu acho uma graça quando as leitoras me dizem que meus contos têm uma sensibilidade e que por isso são diferentes dos outros. Eu agradeço a gentileza delas, mas meus contos são como as centenas que existem por aí, feitos para dar uma relaxada, uma sacanagem solitária e nada mais. 

Focando no conto em questão, o autor Henrique Cuckold nos traz cerca de 16 páginas de uma trama onde dois homens possuem um relação já consolidada de muitos anos. Um deles é que narra a situação se desenvolvendo. Eles moram em um apartamento alto que dá vista para outro, usando binóculo. Nisso, eles espionam um cara que faz 'home office' porque ele é todo peludo, parrudo e barbudo - atributos másculos que despertaram a atenção do casal.

A história narra o envolvimento de Brunão (que é casado e vive muito bem com sua mulher) com o casal homossexual. Interessante ver a que tipo de recurso Brunão recorre para dar suas escapadinhas por aí. E o papel da esposa que não sabe de nada (ou não quer saber). Esse detalhe serve como reflexão e conhecimento sobre como as pessoas agem nessa situação. Infelizmente não é tão fantasioso assim. 

O fator relação aberta do casal homo também é interessante, por se tratar de um tipo de relação jamais admitida pela sociedade em geral, sendo tabu até mesmo entre os próprios envolvidos. E acrescentando, a formação de um elo a três, já que o conto sugere novos encontros do casal com Brunão. 

Outro elemento que me chamou a atenção  - porque quebrou uma espécie de fator comum nos contos eróticos -  é o papel de Brunão na cama. À medida que aquele tipo de convívio foi estabelecendo um relacionamento, ele se tornou receptivo a novas possibilidades de prazer. Este é um ponto que nem todos gostam de falar a respeito: os papéis desempenhados na conjunção carnal. 

Em apenas 16 páginas, o autor inseriu atributos interessantes para as pessoas tomarem conhecimento. A narrativa eu achei corrida, como alguém que chega em você e começa a falar, falar e falar sem parar, apressando-se para contar tudo. Poderia ter dado uma aliviada em algum ponto da trama, trabalhado um pouco mais os personagens. Às vezes, um pouco de lero-lero ajuda a criar certa empatia no leitor que pode se identificar mais com o personagem A, B ou C. 

Mas isso não é uma crítica. Estou apenas deixando o leitor ciente de que o texto da narrativa é bem corrido e dinâmico. Essa forma ligeira de contar parece característica específica do autor, a identidade dele para contos dessa natureza. Eu gostei. Funcionou para mim. Então tá valendo!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

[Livros] Box Casamento Arranjado - Oferta

Fica a dica que encontrei na Amazon, segundo consta, em primeiro lugar no ranking de vendas na categoria "Livros de Romance Histórico do Século 20" -- fala sério! nem sabia que existia essa categoria.

Trata-se do "CASAMENTO ARRANJADO", da autora Karen Heifer, com os quatro livros da série, cerca de 956 páginas ao todo, ao preço de dois reais e noventa e nove centavos no formato 'ebook', ou seja, para você ler e se deleitar no seu Kindle.

Deve ser muito bom estar em primeiro lugar no 'ranking' de vendas.Parabéns à autora!

Segue o comunicado exibido no site da Amazon, que contém uma sinopse curta dos quatro livros. Para adquirir, clique aqui

Clique aqui e adquira o teu

Agora os quatro títulos da série Casamento Arranjado estão juntos em um só volume!

Uma série de romances, a maioria deles ambientados na década de oitenta e um no período vitoriano, com a temática casamento arranjado. Onde belas mocinhas ingênuas e belos mocinhos fortes, precisam por ironia do destino se casarem primeiro para descobrir que se amam depois!

Em O Bilionário e a Órfã, a jovem e doce Liv, é escolhida pelo bilionário Andrews Lausen, em um colégio interno para moças, para se tornar sua esposa. Liv era perfeita para os seus planos: Jovem, bonita, educada, sozinha no mundo, ingênua e virgem...

Em Esposa por Acaso, Sophia Willians, o patinho feio filha da empregada da mansão Scott, finalmente tem seu sonho impossível realizado: Casar com Victor Scott! Único herdeiro da fortuna Scott, um playboy problemático. Porém, o que para ela era a realização de uma paixão platônica de anos, talvez não fosse o mesmo para Victor. Então, o que surgirá desse conto de fadas ás avessas...

Em A Prometida do Conde, a jovem Elizabeth Eglington, abomina a sua condição de prometida a um conde sexagenário em troca de dívidas de jogo do pai. Até que ela ver tudo mudar com a morte do conde e a chegada do novo Conde de Ashwell, herdeiro do título, mas será que tudo ficaria tão perfeito assim?

Em O Destino da Cigana, Sarah uma jovem de origem cigana, criado no Brasil, como uma jovem comum, nunca acreditou muito no compromisso que seu pai lhe revelou em seu leito de morte: Ela era prometida ao seu primo cigano, chefe do clã na Espanha, desde que nasceu. Até que ela ver sua vida mudar ao ficar órfã e escrever a um tio na Espanha em busca de ajuda. O auxilio chegou rápido, mas não como ela esperava: Seu noivo mandou busca-la! Havia chegado a hora de honrar a palavra e se tornarem marido e mulher.

A série é composta por quatro livros , a cada livro um novo casal e uma nova história.

Podem ser lidos separados.

Instagram da autora: @autorakarenheifer

domingo, 7 de fevereiro de 2021

[Quadrinhos] Desfile das Tirinhas

Olá, pessoal! Está muito calor aqui. Como anda na cidade de vocês? Eu ODEIO essa sensação de estar em meio as chamas do inferno. No frio a gente se agasalha com qualquer pano e está tudo certo. Abraços a todos! Espero ler vocês nos comentários! 

DILBERT - SCOTT ADAMS


GARFIELD - JIM DAVIS


MAFALDA - QUINO


PENADINHO - MAURICIO DE SOUSA PRODUÇÕES


RECRUTA ZERO - MORT WALKER
FANART DE FABIANO CALDEIRA

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

[livros] Deixo A Sombra do Vento no Cemitérios dos Livros - Crítica

Foto: Beco das Palavras 
https://becodaspalavras.com/2018/07/19/a-sombra-do-vento/

Eu poderia não fazer esta postagem, mas sei que tem amigos leitores aqui que estavam curiosos para saber o que achei da leitura de "A Sombra do Vento", primeiro livro de uma série de quatro, do autor Carlos Ruiz Zafón, que infelizmente morreu em 19 de Junho de 2020, aos 55 anos, em decorrência de um câncer. E digo "infelizmente" porque se trata de um escritor cuja escrita é bastante reverenciada e suas tramas possuem um nível de status de clássico literário. 

Por incrível que pareça, foi justamente essa característica que me fez desistir do livro quando mal cheguei aos 45% de leitura, pois a trama é muito bem escrita (apesar de que devo ter pego uma tradução, pois estava tudo em português, exceto várias palavras próprias de quem vive em Barcelona ou em qualquer outro lugar na Espanha) e tem até um víés poético no começo, o que eu adorei, mas eu não sei explicar, ela não deslancha. Fiquei lendo, lendo, lendo e o enredo pouco evoluiu. 

Daniel, você é muito devagar, meu filho! É por isso que a Clara Barceló te trocou por um boa-foda, porque o outro chegou e falou que queria comer, enquanto você ficou à espera que sua fome fosse percebida e lhe colocassem a fruta na tua mão. O outro, por sua vez, foi lá e já se fartou do chá de coxa. Até então dei um desconto porque era o primeiro amor e a idade apenas desabrochava para essas coisas. Mas o tempo passa, e você, Daniel, está com a boca na botija e não faz nada. As garotas ficam esperando uma atitude tua e você se finge de bobo. 

Brincadeiras à parte, esse ritmo lento é a principal queixa. As coisas demoram a se desenrolar e fica uma pasmaceira, uma corrente platônica. Parece que estou numa dessas esteiras de academia, sabe? Não vou saber que fim levou Núria nem Penélope, nem Bea, mas já imagino que todas ficarão muito bem, desde que longe de Daniel, que é muito cabação e tonto e não vai logo ao que interessa. 

O que me fez decidir colocar um ponto final na leitura foi o encontro que ele (Daniel) e Fermin tiveram com um padre que conheceu Julián Carax. Esse padre começou a contar fatos da vida de Julián Carax, de quando estudava com ele. Porém, a narrativa mostrava acontecimentos que estavam foram do alcance do padre. Como o padre poderia saber o que se sucedeu dentro da casa de Julián, o que pai e mãe falavam e como eles se interagiam, as ações? Como o padre, que nem era tão íntimo na época, poderia estar a par de tantos detalhes sobre a maneira que o patriarca dos Aldaya conheceu Julián e decidiu investir nele, o lance de olhares de Julian para o filho dos Aldaya na primeira vez em que se viram, a forma como se cumprimentaram, como estava a mãozinha frágil do menino que também não expressou vontade nenhuma em conhecer Julián e como eles, aos poucos, se aproximavam? Até  as salas da mansão, a biblioteca, os jardins tiveram uma descrição detalhada do padre que nunca foi tão próximo de ninguém ali. Fiquei pasmo e achei muito infeliz. Não foi a primeira vez que um personagem falou coisas que ele não tinha como saber nem mesmo se alguém lhe contasse, mas essa passagem foi tão notória que me incomodou a ponto de querer largar a história. 

Realmente, prefiro ler "porcarias" que se sustentam e são plausíveis da gente imaginar -- e até fantasiar -- do que uma literatura clássica tão aclamada que traz problemas de evolução em seu enredo. Sem falar nos diálogos mal escritos e nada convincentes, mesmo para uma história de época.  

Estou colocando "A sombra do Vento" de volta à prateleira do Cemitério dos Livros Esquecidos. Desejo que Daniel morra seco no meio de um círculo em que todas as suas beldades estejam transando com seus pares e atingindo orgasmos múltiplos à medida que ele definha solitário no meio de todo aquele auge sexual de todo mundo à sua volta, naquele piso infectado de suor e pelos pubianos. 

Abraços aos que tiveram o carinho e a disposição de ler estas minhas palavras, e me desculpem por alguma coisa que lhes tenha desagradado.