segunda-feira, 30 de agosto de 2021

POESIA - VENHA, CHUVA

 

Será que chove?
Ou o tempo tá de trote?
Uma coisa é certa:
queremos chuva
sem mais espera.

Uma chuva,
dose única,
já seria muito bom
pra melhorar o nariz seco
e acalmar o coração

Venha, chuva,
em abundância,
sua linda.
Não nos deixe esperando
sua chegada
mais ainda.
----
Autor: Fabiano Caldeira

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

QUANDO A POLÍTICA SEPARA PESSOAS

Já faz alguns anos que a política vem sendo cada vez mais fomentada nas redes sociais e, como um incrível vilão Octopus, ela vem expandindo seus tentáculos por toda a Internet, tornando quase insuportável ficar muito tempo em um local qualquer, porque logo vemos algo de cunho político no meio daquele assunto que a gente escolheu e que, a priori, não tinha nada a ver. E esses tentáculos octopolianos, quando nos pegam, não deixam marcas apenas na Internet, mas, sobretudo, na vida real. Há quem diga que temos um câncer na web. Eu não concordo, pois o câncer é a doença mais digna que pode existir no ser humano, ao contrário dessa politicagem que é cruel, inescrupulosa e não traz um pingo de ombridade aos que dela querem se beneficiar.

OK que moramos em um país democrático e todo mundo tem sua livre escolha de direcionar seu foco e sua atenção aonde bem desejar. A questão é quando essas pessoas se encontram em um estado de carência e/ou desequilíbrio afetivos tamanhos que não basta elas autoafirmarem a si mesmas suas posições politicas, elas querem, praticamente, obrigar seus próximos a pensarem como ela -- e mais do que isso, elas querem aliados. 

Então, por mais que amemos essas pessoas e sabemos de sua liberdade democrática, nos vemos encurralados e sufocados, constrangidos e desrespeitados, pois, se as pessoas sabem que não gostamos de política e não temos afinidades para dialogar de igual para igual sobre essa questão, por que elas ficam insistindo e transformando o que deveria ser um bate-papo prazeroso em uma palestra chata em que só elas sabem, só elas apresentam as ferramentas de tudo o que se passa no país e você, por falta de conhecimento, não tem como debater, então se sente um burro chucro. Parece que pessoas assim têm prazer em mostrar como são superiores.

Então você tenta mudar de assunto, mas não consegue. Você fica horas e horas tendo que suportar aquele monte de ideias porque a tal pessoa, afinal, é sua amiga e te trata super bem, super meiga, educada, enfim... Quando você está de volta com os teus, na paz e tranquilidade do seu lar, apanha o celular um pouco e, de repente, vê marcações do teu nome em páginas e postagens das redes sociais que você não gosta. Quem fez isso? A tal amiga tão querida que te quer muito bem e acabou de te dar palestras o dia todo. Afinal, tu és o único otário que tem saco para suprir a carência existencial dela que deve estar lá nas alturas. Ela quer que você seja aliado dela. Ela quer mostrar que não está sozinha em suas convicções políticas. Ela tem uma necessidade tão grande de se sentir amada e poderosa a esse respeito, que não se importa nenhum pouco com o fato de você sequer gostar de conversar sobre o assunto. Ela quer te usar. Foda-se você. 

Falando assim, parece cruel, né? Mas isso vem acontecendo mais e mais. Vem se tornando algo muito comum para muita gente. Quem nunca se afastou daquela pessoa tão legal por causa de política, não é mesmo? Não deveria ser assim, mas é o que anda acontecendo. 

Essa pessoa nunca conversou dois minutos comigo sobre os gibis da turma da Mônica, da Disney, sobre qualquer tipo de história em quadrinhos. Quando tentei falar em livros, a única frase dela foi "eu não gosto de ler, não tenho paciência". Também não fala de filmes, nem séries, nem de novelas, nem de pessoas famosas, nada que compõe meu universo de afinidades. Então, chega uma hora em que fica difícil sustentar uma amizade assim.

Abraços. 

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

CONTRA A CENSURA NO YOUTUBE


Estou colando aqui o  texto que redigi para a descrição deste vídeo no YouTube. Leiam, inteirem-se da situação e, desde já, convido-vos a assistirem meu vídeo e, se possível, também produzir um. Seria muito bom ver um ombro solidário e constatar que não estou sozinho.


O YOUTUBE agora quer censurar alguns vídeos cujo tema que ele próprio considera que pode incomodar mentalidades divergentes.  O que você acha dessa história? Você acha correto censurar um vídeo apenas porque há quem pense diferente? 

O YouTube não tem milhões e milhões de canais sobre todas as coisas? Sim. Há canais de tudo que é assunto aqui na plataforma. Sendo assim, o correto é que as pessoas incomodadas apenas deixem de ver aquilo que as incomoda, não sendo necessária nenhuma intervenção direta ao criador do conteúdo daquilo que a incomodou, pois o que não agradou a ela pode estar em afinidade com muitas outras pessoas que não pensam como ela. Essas pessoas não contam para o YouTube? A impressão que eu tenho é que nós, criadores de conteúdo, não somos importantes para o YouTube, pois ele faz o que bem quer e não está nem aí para nós, que somos quem está dando vida e coropo ao YouTube. 

Aliás, se a plataforma, hoje, se gaba de ser uma das maiores a nível mundial, esse fator se deve exclusivamente aos tantos e tantos de nós que postamos nossos conteúdos e juntos fizemos com que ela se tornasse gigante assim. É VOCÊ, YOUTUBE, QUEM PRECISA AGRADECER A CADA UM DE NÓS, e não o contrário! Preste atenção, meu querido!

O ORKUT, um dia, dominou as redes sociais. Hoje, ninguém sequer se lembra.

O ICQ foi a grande novidade na evolução da comunicação instantânea em tempo real que antes só era feita via salas de bate-papo de alguns sites. Foi superado pelo Messenger da época, que nem tinha tanta funcionalidade como o ICQ, mas agia com as costas quentes da Microsoft, o que fez com que abandonássemos o ICQ e pensássemos que aquele Messenger seria para sempre, afinal, era um produto líder de uso da gigante Microsoft. 

Então veio o Google. Essa multinacional, em pouco tempo, tornou obsoleto não apenas o messenger da Microsoft, mas também o Hotmail e seus portais de notícias e entretenimento. 

O Yahoo, principal concorrente de peso da Microsoft, chegando a ser líder por causa dos emails e do sistema de busca, hoje vive às moscas. O mesmo acontece com blogs, antes tão importantes para postagens de conteúdo e comunicação, agora obsoletos por causa de Facebook e Instagram. 

Então, YouTube, tome jeito e tome tento. PARE DE FAZER SEUS 'COACHINGS' DISSEMINAREM POR AÍ QUE DEVEMOS AGRADECER A VOCÊ, POR DEIXAR QUE POSTEMOS NOSSOS VÍDEOS DE GRAÇA, PORQUE SABEMOS MUITO BEM QUE É VOCÊ QUE NOS DEVE, E MUITO!

Lembre-se dessas plataformas que, um dia, também foram líderes e se julgavam insubstituíveis. Lembre-se bem de cada uma delas, para que você não se torne a próxima da lista. Não nos subestime, YouTube! Não nos subestime, Google! Ninguém é insubstituível! NINGUÉM!

Fica aqui registrado meu desabafo contra a censura e contra essa mania do YouTube achar que temos algo a lhe agradecer. Eu não tenho nada a lhe agradecer e sou contra essa censura que está querendo colocar. Abraços. 

CLIQUE AQUI PARA IR AO VÍDEO

terça-feira, 17 de agosto de 2021

NOITE EM CARACAS E PEDRAS EM NOSSAS VIDRAÇAS

NOITE EM CARACAS é um livro de ficção com pegada realista ao nos apresentar o cenário caótico de manifestos e dificuldades sociais dos habitantes de Caracas, na Venezuela. Adelaida vai nos botando a par de seus dias naquele lugar, sendo ela testemunha de si mesma estampada, multiplicada e incorporada em muitas daquelas pessoas tão polarizadas e perdidas em qual seu papel mediante tamanhos conflitos

Esta edição é da editora Intrínseca, contém 240 páginas e foi publicada em 2019. A autora - KARINA SAINZ BORGO - nasceu em Caracas e depois foi viver em Madri, em 2006, onde se consolidou na carreira do jornalismo e talvez ainda possa ser encontrada por lá, atualmente, quem sabe? 

Adquiri este livro por meio de uma indicação do gerente da rede grande de livrarias onde estive, há um tempo atrás, aproveitando aquelas promoções malucas a preços realmente imperdíveis que chegam a ser até inacreditáveis. Dentre os que escolhi, confesso que este é o que mais destoa do conteúdo de ficção comercial, enlatada e padronizada apenas para entreter e ser esquecida dentre tantas outras leituras consumidas e posteriormente confinadas no baú secreto de minha memórias. Esta obra foge desse desse tipo de conteúdo que tanto aprecio, pois me apresenta um cenário de realidade, caos, a revolta de uma sociedade para com seus governantes levadas às últimas consequências e, em contrapeso, a resposta truculenta e impiedosa dessas autoridades a serviço de um poder maior. Então, é claro que uma obra dessa natureza me tirou da zona de conforto. Logo eu, que nem sou um desses leitores vorazes, de repente me dou conta de que a trama que se apresenta entre minhas mãos não é legalzinha, não tem golpes estruturais de pegadinha para o leitor se surpreender com os personagens nas reviravoltas. Não. Nada disso. Consiste no relato de uma pessoa que foi enterrar a própria mãe, vítima de câncer, e se viu às voltas com uma atmosfera protestante que adquiriu consistência até se tornar perigosa e fatal, pois chegou-se ao ponto de Adelaida quase morrer nas mãos de uma mulher como ela, mas que era corrupta nas benéfices oriundas de sua luta pelos menos favorecidos. Mulher que lutava pelos oprimidos e que acabara de desabrigar à força uma recém-órfã, no momento em que invadiu com suas comparsas o apartamento da mãe de Adelaida. Mulher que passava a pernas nos demais grupos de oposição política dos quais eram aliados, pela simples vontade de fazer valer o gozo de sua alcunha - MARECHALA - que conferia status de a mais soberana, a líder poderosa de seu núcleo e, por baixo dos panos, aquela que passava a perna nos homens dos outros grupos manifestantes que confiaram nela alguns procedimentos de valor para todos. Ela e sua equipe de mulheres perdidas e mal-amadas - barangas que não deveriam ser valorizadas como desejáveis nem mesmo aos pobres cegos carentes e confinados de José Saramago em seu ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA. 

Adelaida passa por poucas e boas nessa trama que, apesar de se apresentar como ficção, tem elementos os quais prefiro não elencar, mas dão um quê um tanto biográfico (será?) em relação à própria autora. Adelaida vai nos botando a par do que passaram, um dia, muitas daquelas pessoas em Caracas. Muitos perderam a vida, os que não perderam sofreram torturas repugnantes, outros tiveram seus lares invadidos e se tornaram reféns-escravos de seus algozes travestidos de lutadores pelo bem coletivo da sociedade. E o pior: alguns ainda abraçavam a causa, gostando de serem reféns, escravos... talvez acometidos pela síndrome de Estocomo ou, quem sabe, por aplicarem a teoria da ocupação que garantiu a vida de Viktor Frankl em um campo de concentração. Quem sabia o que se passava na cabeça daquelas pessoas? Como leitores, ficamos sabendo um pouco nesta obra que é demasiada sólida, pesada e nada agradável, porém interessante e necessária, já que há algum tempo nos tornamos a ponte de salvação para muitas dessas pessoas que buscaram refúgio em nossa pátria, e tivemos, nesse momento, que nos dividir entre as campanhas que promoviam o abrigo e abrasileiramento deles e os argumentos opositores que alegariam perigo de concedermos abrigo a bandidos do narcotráfico e extremistas políticos que iriam, contudo, colocar o Brasil visível como sede do terrorismo. E aí nos tornamos aquela população confusa e perdida que assistia a mídia televisiva e das redes sociais nos apresentar exaustivamente o sofrimento daqueles que acabaram de pisar no solo brasileiro com suas famílias, apenas com a roupa do corpo, e desejavam se regozijar de nosso berço esplêndido. Assistíamos a chegada de vários dessa maneira, deixando-se filmar pela mídia oportunista e perversa que os mostrava para nós como cargas contrabandeadas encontradas e à espera de um destino certo. 

E foi assim até que um dia o foco mudou para outro tipo de acontecimento. Depois veio outro e mais outro, tornando a fuga dos venezuelanos para o Brasil em algo esquecido e ignorado, já que há muito haviam explorado e não intere$$ava mais.Este livro me levou a pensar: "Como anda a situação daquela população? Como estão vivendo aquelas pessoas? Ainda há conflitos dessa natureza ocorrendo? será que esse tipo de coisa realmente aconteceu por lá? Será que a autora não deu aquela exagerada para tornar mais atraente sua criação?". 

Agora o foco é o Afeganistão e as pessoas mostradas em debandada frenética visando deixar o país que foi tomado por completo pelo Talibã. Vi várias vezes dois ou três homens dependurados na asa de um avião e que, já em plena altura, não resistiram à força da matéria x deslocamento (não acredito que aquela chatice de aula de física me serviu para esta colocação) e protagonizaram o próprio final de bravura, pois ninguém sobrevive saltando de um avião naquela altura. E mesmo que permanecessem na asa do transporte, por um milagre divino (ou a síndrome do MacGyver agindo no extremo do extremo), a simples questão da velocidade no deslocamento atmosférico não os deixaria respirar e talvez lhe arrancassem a couraça dos ossos, resultando no mesmo destino, só que de forma um tanto mais próspera, se é que serve de consolo. 

Agora é o povo do Afeganistão que sofre e é exposto até do avesso a todos nós, que sempre esperamos o próximo espetáculo com aquela velha opinião formada sobre tudo, mesmo sem prestar a devida atenção ao que é noticiado, apenas olhando as imagens e formatando pensamentos medíocres os quais já se fazem tão presentes em nosso hábito. No fim das contas, não somos tão diferentes dos venezuelanos e, se não tomarmos cuidado, nos assemelharemos cada vez mais aos afegãos. Espero que não.

Há uma postagem em vídeo sobre esta obra literária. Ela é bem longa, pois a utilizo para minhas divagações e devaneios. Aos interessados no vídeo, é só clicar aqui ou na imagem a seguir.

Um abraço a todos. Até a próxima postagem! 

domingo, 8 de agosto de 2021

DESFILE DAS TIRINHAS

Olá, pessoal! Que este Dia dos Pais seja de alegrias, paz, amor e esperança de que dias melhores virão. Se cada um de nós fizer um pouquinho, logo teremos um montão. Um abraço a todos. Boa semana!

AS GÊMEAS - FABIANO CALDEIRA

AS BEBÊS GÊMEAS - FABIANO CALDEIRA
SNOOPY - CHARLES sCHULZ

AUTOR DESCONHECIDO - CLIQUE AQUI PARA IR AO SITE DA FONTE

HAGAR - DIK BROWNE

HORÁCIO - MAURICIO DE SOUSA PRODUÇÕES

MAFALDA - QUINO

sábado, 7 de agosto de 2021

EX-PADRASTO - MEU NOVO CONTO NA AMAZON


"Ex-Padrasto" estreou agora, em 05 de Agosto de 2021, contém pouquíssimas páginas e conta a história de um homem que, durante o trajeto para o seu lar, encontra por acaso seu ex-padrasto à mesa de um bar. O que parecia apenas um segundo qualquer de cumprimentos torna-se uma situação maior em que o leitor vai sabendo um pouco mais desses dois. 

Coloquei esse nome porque quis brincar com essa coisa de "ex". Acho que nem existe o termo "ex-padrasto", mas como designar facilmente o cidadão que foi casado com sua mãe há alguns anos? Acho que não há forma melhor. 

Escritor bom inventa palavras. O problemas é que ando tão convencido que às vezes penso que faço algo original e então descubro que passei longe disso. Por favor, deixem-me sonhar neste meu mundinho. Ah, Ah, Ah, Ah, Ah!...

Ao contrário de meus outros contos, este não tem cenas explícitas de sexo, mas continua sendo indicado para homens que gostam de outros homens, para toda pessoa que gosta do tema e que tenha mais de 18 anos, pois a pegada de forte apelo não tem muita diferença em comparação aos meus contos mais lidos "O Caseiro Na Minha Sauna", "Quarentena Ardente" e "O Deleite da Madrugada". Aliás, este último contará com a terceira parte em breve, só que vai demorar um pouquinho, pois estou com várias obras para concluir. Coisa boa dá trabalho, pessoal! rsrs... 

Bom, é isso... Só quero divulgar mais um conto meu que acabou de chegar na Amazon. Espero que alguém me leia, que prestigie mais esta obra. Sei que existe um público bacana que adora essas tramas, por isso gosto de fazê-las, porque não quero ser mais um escritor que publica qualquer coisa on line. Quero dar o melhor do meu talento aos leitores.

Um abraço a todos vocês. Até a próxima postagem. 


segunda-feira, 2 de agosto de 2021

QUADRINHOS DISNEY TRAZEM MINIATURAS ESPORTIVAS

Trago uma novidade bem bacana que eu gostaria que viesse para o Brasil. A Itália, atualmente o berço das grandes produções dos quadrinhos Disney que tanto amamos, de olho nos jogos olímpicos de Tókio, lançou uma pequena coleção de miniaturas onde Mickey, Minnie, Pateta, Pato Donald e Tio Patinhas representam, cada qual, uma modalidade esportiva. 

Essas seis miniaturas foram projetadas por Alessio Coppola e serão distribuídas como brindes nas revistas em quadrinhos que contêm as partes de uma grande aventura intitulada de "Mickey e o Final Sombrio", uma obra de Tito Faraci (roteiro) e Lebero Ermetti (desenhos. O primeiro par - Mickey e Minnie - já foi entregue na revista Topolino n° 3427 (28 de Julho), a terceira miniatura (Donald) acabou de integrar a revista Paperino n° 494 (30 de Julho), Margarida e Pateta virão na revista Topolino n° 4328 (04 de Agosto) e o Tio Patinhas está previsto para a revista Zio Paperone (15 de Agosto). 

Bem legais essas miniaturas! Bem que poderiam ter vindo para o Brasil. 

Maiores detalhes na fonte - https://www.lospaziobianco.it/e-uscita-la-topolino-sport-collection/

Clique Aqui para ir ao canal HQ DISNEY

Clique Aqui para ir ao site do Topolino 

 

domingo, 1 de agosto de 2021

DESFILE DAS TIRINHAS

Olá, pessoal! 
Curtam o Desfile das Tirinhas e tenham uma boa semana. 
Vamos nos cuidar.

GAFIELD - JIM DAVIS

HAGAR - DIK BROWNE

MAFALDA - QUINO

MENINO MALUQUINHO - ZIRALDO