terça-feira, 19 de julho de 2022

POR QUE ACAMPAMENTO SINISTRO ATÉ HOJE É INDESEJÁVEL?

Além de orçamento pífio, trama tinha pedofilia escancarada e doses insanas e transexualidade


Há muito tempo, quando eu acreditava que cresceria pelos na palma das mãos se batesse uma, assisti a um filme trasheira assumidamente terrir (terror com comédia), que só não fui capaz de gostar tanto porque a imagem era sofrível. Mesmo assim, quando o segredo da trama veio à tona, fiquei frustrado por aquele ser o filme 2, pois aonde, neste mundão de Deus, eu encontraria o primeiro?

O tempo passou, cresceram pelos em tudo que é lugar, menos na palma das mãos. Dia desses, quando caí doente, só quis encontrar algo que me empolgasse de verdade, para esquecer tamanha dor. Estava prestes a a escolher A VOLTA DOS MORTOS-VIVOS (THE RETURN OF THE LIVING DEAD), um terrir classicaço, mas que não me lembro de quase nada. Ele está disponível, completo, no YouTube. Mas o que me fez deixá-lo para depois foi que encontrei, na mesma fila de indicação, SLEEPAWAY CAMP, chamado aqui de ACAMPAMENTO SINISTRO. Tudo bem que não era dublado, eu não me importava em ler as legendas daquele que era o primeiro filme do trasheira que me lembrei ter visto lá atrás. Se eu tivesse visto o filme dublado, não saberia como as interpretações daqueles atores foram de lascar. Ah! Ah! Ah!

Comparando com o segundo filme, onde predominavam altas doses de sarcasmo em humor negro a cada matança, até referência ao famoso Sexta-Feira 13, este primeiro não tem o humor rasgado. Na verdade, eu ri porque algumas cenas poderiam ser melhores, mas, por outro lado, se tivessem sido, o filme se tornaria pesado. Por isso o título acabou ficando desconhecido para muita gente naquela época. Quem é que ia deixar na sua locadora um filme com adolescentes no mato, a mercê de um pedófilo? 

SPOILERS

O pedófilo, Graças a Deus, morre logo no filme. Achei a morte dele bastante cruel. Só que não, em se tratando de um pedófilo. 

O cara enorme adorava aquele lugar repleto daquela mocidade toda, algumas bem indefesas. Quanto mais indefesa, mais ele gostava. Assim ele pensou que fosse Angela: a menina quietona que não se desenrolava com ninguém e já tinha conquistado a aversão das peruínhas exibidas, porque seu modo "calada vence" acabou atraindo a atenção dos meninos. Só que Angela não era assim porque gostava. 

Na verdade, Angela era um garoto que vinha sendo obrigado pela própria mãe mocreia, infeliz, estúpída, egoísta e insana a viver como garota. Houve um acidente muito grave, na infância, em que Angela, como menino, quase perdeu a vida (o filme começa nesse acontecimento). A mãe se aproveitou disso para achar que poderia, mentalmente, matar o coitado do filho e fazer nascer uma menina, era o que ela tanto queria, pois já tinha um filho homem. O resultado era aquele: Angela estava na fase em que descobria o próprio corpo e os prazeres, ela se via aprisionada e encurralada, pois não era mulher nem gay. Sobre a peruínha que mais encrencava com ela, na verdade, o que Angela sentia era atração pela garota. Um envolvimento com um coleguinha fez a gente supor que ela seria bissexual. Acontece que para ela estaria tudo bem, mas ele ia gostar de sentir alguma coisa inesperada embaixo das roupas dela? Então ela se mantinha distante dos meninos e das meninas. Por causa disso.

Mesmo sendo uma produção de baixa categoria, ela colocou elementos complicados demais para ganharem os holofotes. Tragédias envolvendo crianças, transexualidade infanto-juvenil imposta pela própria mãe, os jovens paquerando, querendo..., monitores safados ou coniventes com os abusadores. 

Não sei não, se hoje em dia alguém se atreveria a fazer um filme assim. Apesar do filme não ter sexo explícito, a cena em que a transexualidade de Angela vem a público não nos poupa de ver o pingolinho pentelhudo dela. Para o ano de 1983, esses elementos não deixam de ser chocantes.

Deixo aqui minha experiência. Caso alguém ainda esteja interessado, é só procurar no YouTube, que os dois filmes citados estão lá.

3 comentários:

  1. Já vi tanto lixo no YT q nao sei como ainda nao topei com esse

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só se procurar por nome eles mostram. Não aparecem espontaneamente nas indicações. Não sei como o filme não feriu as leis e diretrizes do YouTube, já que mostra tragédia, humilhação de menores expostos a situações e atos libidinosos, de estresse, mostra uma menina suja de sangue e depois o pingolinho dela. Mas o problema, meu caro, é o Fabiano sem camisa mordendo uma maçã. Daí o YouTube se ocupa em enviar um e-mail advertindo que aqueles 30 segundos são nocivos às leis e diretrizes deles.

      Excluir
    2. Ontem vi o clássico A NOITE DOS MORTOS VIVOS (não é o terrir que citei na matéria), de George A. Romero. Caralho! Que filme foda! Como antigamente, com poucos recursos, havia tão boas ideias! Acho que Walking Dead deve ter sido inspirado desse filme, que na verdade é um livro. Só que esse filme é bem melhor que Walking Dead.

      Excluir